Login

Fechar

Esqueceu a senha?

Fechar

20 FEVEREIRO 2013 - 10:50 - Cultura
  • Compartilhe

Peça "Órfãos" estreia em Vitória e promete bom teatro

Espetáculo faz curta temporada na cidade dentro do projeto Vivo EnCena.

Por: Leonardo Vais

ÓRFÃOS

Mais um dia normal na rotina de um casal. Sentados à mesa, eles estão jantando ao som de uma música relaxante. A única alteração no cotidiano é a ausência do filho pequeno, que está na companhia da avó. Tudo muda quando o irmão da protagonista aparece na casa com a camisa suja de sangue.

Esse é o ponto de partida da peça Órfãos, texto premiado do autor inglês Dennis Kelley, que cumpre curta temporada esse fim de semana em Vitória.

O espetáculo aborda questões comuns ao dia a dia agitado de uma sociedade totalmente globalizada. Para o ator Marcelo Pacífico, “tanto os grandes conflitos sociais e políticos, quanto os conflitos familiares são comuns nas grandes cidades do mundo”, afirma ele, um dos protagonistas do espetáculo.

Marcelo conversou com o portal Sou ES sobre o espetáculo, que em 80 minutos vai do suspense a comédia, passando pelo terror e drama. Segundo o ator, “nossa percepção deste belíssimo texto de Dennis Kelly é que ele abrange todos estes gêneros. Como na vida”. Confira a entrevista!

1. Sou ES: Em várias matérias sobre o espetáculo “Órfãos”, os textos dizem que a peça poderia se passar em qualquer lugar do mundo. Por que está afirmação?
Marcelo Pacífico: Porque com a globalização da informação, especialmente pela internet, notamos que se mudam os personagens, mas as histórias são as mesmas. Ou, ao menos, muito semelhantes e de fácil relação. Comparação. Tanto os grandes conflitos sociais e políticos quanto os conflitos familiares são comuns nas grandes cidades do mundo.

2. Sou ES: A questão da violência urbana é cada dia maior nas grandes cidades. Como a peça reflete isso?
MP: Discutindo de forma mais profunda e pessoal o quanto isso afeta um núcleo familiar e também os motivos ou situações de vida que levam alguém a cometer algum ato que a sociedade toma como violento, inaceitável, passível de punição. É no núcleo familiar que esta violência se reflete em “Órfãos”. Então não há discussão sobre a violência urbana especificamente, isso já é tomado como parte constante das grandes cidades e então discutimos e deixamos perguntas ao público acerca das razões, dúvidas e consequências que isso trás para dentro de casa.


MP3. Sou ES: O suspense é um gênero comum no cinema. No Brasil, as montagens teatrais privilegiam dramas e, em especial, as comédias. Como é fazer um thriller no teatro?

MPBom, nossa percepção deste belíssimo texto de Dennis Kelly é que ele abrange todos estes gêneros. Como na vida. Nós passamos com frequência de momentos de drama, para outros de comédia, para suspense, terror. A dinâmica de Dennis Kelly busca essa aproximação com a vida real, não só no gênero da peça, mas na sua escrita. Para nós, trabalhar com um thriller no teatro é um enorme prazer e desafio, já que procuramos viver o momento da cena como se fosse a primeira vez. Sempre. Somos surpreendidos por este thriller a cada momento e assim a plateia se deleita entre o suspense, o drama e a comédia. Tudo em uma mesmo história. Nos chama muito a atenção como este texto prende a atenção do público do começo ao fim. Essa resposta da plateia é importantíssima para nós, sinal de que o suspense está acontecendo.

4. Sou ES: Vocês não são atores conhecidos da TV. É complicado levar público ao teatro fora do eixo Rio-São Paulo?
MPOlha, a comparação é inevitável. É claro que não vamos conseguir o mesmo público de uma peça com atores conhecidos, nem no eixo, nem fora dele. Mas existe espaço e público para todas as peças. A minha experiência com viagens tem sido sempre acima das expectativas. E as apresentações são sempre muito prazerosas, pois é um público mais carente de teatro. Levar público ao teatro depende mais de fazer um trabalho bem feito e com prazer do que de propaganda. Porque assim a qualidade ganha muito mais importância do que a quantidade, e tudo se torna mais fácil e divertido.

5. Sou ES: O que as pessoas podem esperar da peça?
MPUm grande trabalho feito por pessoas que amam teatro, que amam a arte de representar e contar uma história. E podem acreditar, é uma história lindamente escrita. O autor é realmente um dos grandes novos nomes da dramaturgia. Nossa diretora, a grande atriz Clara Carvalho, trabalhou conosco durante mais de um ano para que chegássemos ao melhor resultado possível. E é nosso o orgulho e o prazer de apresentar “Órfãos” em Vitória. O público pode esperar ver bom teatro!

6. Sou ES: Convide os capixabas para assistir “Órfãos”.
MPNós amamos o que fazemos e amamos esta peça. Venham dividir um pouco deste amor com a gente. Vocês verão uma grande história sendo contada de forma belíssima e, claro, surpreendente. “Órfãos” vai te prender na cadeira e quando você se der conta, a peça já acabou no palco. Mas você a levará pra casa, com certeza. Esperamos vocês.

Quer assistir ao espetáculo sem pagar nada? Saiba como clicando aqui.

Comentários

Nenhum comentário ainda.

Comentar

* = Preenchimento obrigatório