Login

Fechar

Esqueceu a senha?

Fechar

28 JUNHO 2019 00:00 Cultura
  • Compartilhe

Museu Mello Leitão celebra 70 anos com nova mostra de arte

Reconhecido nacionalmente por suas descobertas e acervo, o museu, localizado em Santa Teresa, comemora seus 70 anos com exposições que contam com mais de 40 artistas

Por: Redação Sou ES

LeoMeira
O Museu de Biologia Prof. Mello Leitão completa 70 anos de 2019 | Foto: Leo Meira

Inaugurado em 26 de junho de 1949, o Museu de Biologia Prof. Mello Leitão, em Santa Teresa, funciona há décadas como uma instituição particular de pesquisas biológicas sobre a fauna e flora brasileiras, sendo incorporado, em 1983, à Fundação Nacional Pró-Memória (FNPM), do Ministério de Educação e Cultura (MEC), e, posteriormente, ao Instituto Brasileiro de Museus (Ibram), do Ministério da Cultura.

Em 2019, portanto, o museu completa 70 anos de muita história. Concebido pelo Patrono da Ecologia do Brasil, Augusto Ruschi, o museu é uma das mais importantes referências brasileiras para pesquisas voltadas à biodiversidade da Mata Atlântica, desenvolvendo trabalhos em botânica, etologia, ecologia e biogeografia de grupos de animais do bioma.

LeoMeira
São mais de 120 mil exemplares da fauna abrigadas no museu | Foto: Leo Meira

Nas coleções científicas de seu herbário, há mais de 50 mil plantas e na coleção zoológica, mais de 120 mil exemplares da fauna. Também possui forte atuação na área de educação e divulgação científica, recepcionando anualmente cerca de 80 mil visitantes. A biblioteca “Fernando Lee” também é destaque com mais de 10 mil documentos históricos sobre o Museu e sobre Augusto Ruschi. Esses documentos estão sendo catalogados para que, em breve, possam ser consultados pelo público amplo.

Para comemorar toda essa trajetória, a instituição inaugurou na última quarta-feira (26), a 4ª Mostra Internacional da Arte Naif Universo da Alma Ingênua. A mostra reune 43 artistas de diversos países e 78 obras de diferentes tamanhos e formatos, inclusive tridimensionais, nas quais os artistas expressam em suas telas cenas do cotidiano, bem como paisagens naturais e urbanas. Outra exposição inaugurada no espaço é a “A Arte Primitiva de Virgínia Tamanini”, com 12 obras expostas, além de exemplares de sua produção literária.

LeoMeira
A arte do paraibano Adriano Dias faz parte da nova exposição que está em cartaz no museu | Foto: Leo Meira

“Ruschi e o Museu são essenciais para a história da ciência. O primeiro por suas descobertas científicas sobre orquídeas, morcegos e beija-flores e, ainda, pela defesa do meio ambiente. O segundo por abarcar todas essas pesquisas e se tornar referência em estudos da Mata Atlântica nas mais variadas áreas: zoologia, botânica, história, educação científica e ambiental, entre outros”, afirma o diretor do INMA, Sérgio Lucena.

Serviço
4ª Mostra Internacional da Arte Naif Universo da Alma Ingênua
A Arte Primitiva de Virgínia Tamanini
Nº de obras da mostra: 78 (além de livro e catálogos sobre arte naif)
Nº de obras de Virgínia Tamanini: 12 (além de exemplares de sua produção literária)
Data: de 26 de junho e 8 de setembro
Local: Pavilhão de Botânica do Museu Mello Leitão (Av. José Ruschi, 4 - Centro, Santa Teresa)
Entrada gratuita

Comentários

Nenhum comentário ainda.

Comentar

* = Preenchimento obrigatório