Login

Fechar

Esqueceu a senha?

Fechar

04 FEVEREIRO 2014 - 15:36 - Cultura
  • Compartilhe

Dança e poesia para falar sobre homossexualidade

Espetáculo "Inabitáveis" faz apresentação gratuita nesta quarta-feira (05), no Theatro Carlos Gomes

Por: Leonardo Vais

INABITAVEIS_DIVULGAÇÃO

O encontro entre dois homens, o sexo casual e – por que não? – algo mais que a casualidade são o começo, o meio e o fim do espetáculo Inabitáveis, duo de dança da companhia In Pares, que faz única apresentação gratuita, nesta quarta-feira (05), às 19 horas, dentro do Projeto Verão no Theatro que acontece até o dia 23 de fevereiro no Teatro Carlos Gomes.

A vontade de "falar" sobre a homossexualidade em um trabalho era um desejo do renomado coreógrafo Gil Mendes. “Eu queria abordar um tema que falasse da relação homoerótica. Acho que é o momento de falar sobre isso na dança”, afirma Gil com a experiência de 30 anos de carreira e depois de ter idealizado coreografias para vinte e cinco espetáculos, entre dança e teatro.

Veja a programação completa do Projeto Verão no Theatro AQUI!

Após ler um artigo que discutia a condição dos “inabitáveis” (pessoas que vão a locais específicos em busca de sexo casual) ele encontrou seu tema. “A gente quer falar das relações que acontecem fora do olhar da sociedade” explica. Durante o processo de criação a abordagem, que seria mais crua, ganhou novos contornos. “No fundo rolou uma questão da afetividade no trabalho, de uma maneira não planejada. Surgiu o conflito e a afetividade. O conflito é algo que permeia a homossexualidade”.

INABITAVEIS_DIVULGAÇÃO

Tratar da questão da homossexualidade através da arte é a oportunidade de levantar o debate sobre um assunto que ainda hoje gera tanta polêmica. “O tema é instigante. A gente esta em um momento de mostrar a sexualidade” acredita Lucciano Coelho, um dos bailarinos do trabalho e que divide a cena com Mauro Marques. Para Mauro, a delicadeza é um dos destaques do espetáculo. “Mostrar o assunto de forma poética, com cuidado foi fundamental. Por mais que esteja explícito, tudo é apresentado com naturalidade”.

Com um novo trabalho em processo de criação (Banzô inspirado na obra de Guimarães Rosa e com a residência artística da baiana Cristina Castro) com previsão de estreia para abril, Gil, em nome dos meninos do In Pares deixa o convite para a apresentação desta quarta: “Nós queremos que as pessoas estejam lá, porque é um trabalho feito com carinho, dedicação e suor. E estamos falando de um tema que a gente gostaria que fosse mais e mais debatido”.

Comentários

Nenhum comentário ainda.

Comentar

* = Preenchimento obrigatório